Capturando Imagens de Banda Estreita

A diferença mais obvia entre capturar imagens de banda estreita e capturar imagens normais em RGB é que no primeiro caso requer um tempo de exposição bem mais longo. Na prática, o tempo de exposição pode aumentar por mais de 10 vezes acima do padrão de exposição em RGB. Assim sendo, se você antes usava 3 minutos de exposição para capturas, prepare-se para agora usar 30 minutos. No final, o total de detalhes que podem ser alcançados, valerá a pena ter investido neste tempo extra.
Os métodos empregados são basicamente os mesmos do normalmente já feitos em capturas RGB, com algumas poucas modificações.

 

FILTROS

Os filtros usados em imagens de banda estreita tipicamente possuem uma banda passante na faixa de 3-7nm. Os filtros mais populares são fabricados pela Astrodon e Custom Scientific. Os filtros de banda estreita mais antigos da Custom Scientific tinham uma banda passante de 3nm. Atualmente os filtros possuem uma banda passante de 4.5nm, ao passo que a Astrodon tem filtros H-alpha com banda passante de 6nm. A banda passante foi extendida para permitir o uso de populares telescópios com razão focal rápida, tais como refratores Takahashi, TeleVue, entre outros. Em razões focais rápidas, filtros de banda estreita se alteram na banda passante, significando que eles mudam para outro comprimento de onda, do qual eles foram feitos para capturar. O efeito é uma significante queda na sensibilidade. Uma banda passante mais larga permite requerer que a linha de emissão permaneça dentro da zona de mais alta transmissão do filtro, mesmo se a faixa de luz se mover ligeiramente. Para razões focais mais rápidas, um filtro de banda passante mais larga é mesmo requerido.
Para telescópios mais rápidos do que F/4, tais como o telescópio Astrografo Takahashi Epsilon (F/3 a F/3.8) e Celestron Hyperstar SCT (F/1.9), um filtro de banda passante de 10nm é exigido. 

comprimento de onda alterado
Exemplo de alteração no comprimento de onda provocado pela razão focal do telescópio.


TEMPOS DE EXPOSIÇÃO

Tempos de exposição muitos longos são constantemente usados com filtros de banda estreita. Gastar várias horas para capturar cada cor não é algo incomum. Tipicamente, exposições individuais devem ficar numa faixa de tempo de 10 a 20 minutos, com 5 ou 6 imagens com esta mesma duração capturadas para cada filtro. Ficar acordado a noite toda para capturar imagens de um ou dois objetos do céu é algo característico.

Normalmente as exposições são mantidas as mesmas para cada filtro, mas no caso de capturas com os filtros RGB é possível determinar a sensibilidade da câmera para cada comprimento de onda de luz que está sendo capturado e ajustar o tempo de exposição de acordo. Em geral, tempos de exposição 1:1:1 são usados.

 

FOCALIZANDO

A focalização é feita da mesma maneira em imagens de banda estreita como também é feita nas imagens regulares RGB, porém com tempo de exposição um pouco maior. Para conseguir um foco preciso, certifique-se de que o tempo de exposição seja longo o suficiente afim de distinguir uma estrela de um possível ruído de imagem ao fundo. Isto é fácil de distinguir quando se está olhando para o perfil da estrela, por exemplo na aba INSPECT  no programa Maxim DL. O perfil da estrela deverá ser claramente visível acima do ruído de fundo.
Há uma tendência que configura uma larga diferença entre a espessura de filtros de claridade (luminance), filtros RGB e filtros de banda estreita. Isto significa que se o seu telescópio está com foco ajustado com um filtro de claridade, ficará então um pouco fora de foco quando trocar para um filtro de banda estreita. Existe também uma diferença entre os filtros de banda estreita, então o trabalho de ajustar o foco para cada filtro será frequentemente necessário. 
Uma vez que a diferença entre os filtros é conhecida, é fácil configurar esta informação num focalizador motorizado, estando aí uma forte razão para se ter focalizadores motorizados.
Alguns conjuntos de filtros RGB, como os filtros da Astrodon, são desenvolvidos para serem parfocais com os filtros H-alpha, ou seja, você não terá problemas com foco entre a troca de um filtro para outro. Mas ainda assim existirá uma mínima diferença de focagem entre os filtros H-alpha e os filtros OIII.

 

IMAGENS EM HYPERSTAR

Sistema de imagens em Hyperstar oferecem uma maneira revolucionária de capturar imagens de banda estreita. A vantagem do Hyperstar para imagens RGB está primeiramente na velocidade – geralmente em razões focais mais rápidas do que F/2! Aplicando esta velocidade aprimorada para imagens de banda estreita poderá reduzir consideravelmente a captura de excessivas longas exposições para tempos muito menores. Ao invés de gastar uma noite inteira capturando apenas um ou dois objetos de céu profundo, uma dúzia de alvos podem ser imageados numa única noite.

 

 

Publicado por Israel Mussi

Produtos relacionados com este assunto

0 Comentar para "Capturando Imagens de Banda Estreita"

Escreva um comentário

Seu Nome:


Digite o código da caixa abaixo:

Seu Comentário:
Nota: HTML não está traduzida!